segunda-feira, 26 de abril de 2010

Entrando pelo cano - parte 1
Semana passada fiquei sabendo que um terapeuta corporal americano estaria no Rio, atendendo por dois dias. Quando me mandaram o site, li apenas sobre o objetivo da terapia corporal, que era "remover dores agudas ou crônicas relacionadas a retesamento do tecido muscular, melhorar postura e liberar tensão muscular em geral. Em seu aspecto mental, liberar antigos padrões e comportamentos, liberar a mente de sistemas de crença que não são mais válidos e criar uma apreciação positiva da vida. Em seu aspecto emocional liberar emoções e traumas que estejam mantidos no tecido muscular". Não assisti vídeo nenhum do site, não li depoimento, nada. Fui achando que era uma massagem que me deixaria mais leve, sem dores e tal. Distração total a minha! Devia ter lido tudo, visto tudo. No meio da massagem eu mandei parar. Aquilo não tinha nada a ver comigo. Exercício intenso de respiração, corpo dormente, a dor intensa da manipulação deveria ser superada com uma respiração cada vez mais profunda. Três pessoas me apertando, uma com a mão na minha boca e no meu nariz, outras duas com o cotovelo pressionando várias partes do meu corpo. Gente, na boa, eu gosto de terapias alternativas, mas não estava preparada para passar por isso. Saí com vontade de chorar daquela, que para mim, foi uma grande roubada. Aos que gostam desse método, eu respeito. Cada um com seu cada qual. Eu sou muito racional para acreditar em algo sem qualquer comprovação científica. Com o google à disposição, nada justifica a minha falta de informação sobre o "método". Dinheiro mal empregado e dores musculares no dia seguinte. Vida que toca. Momento Pollyana: a parte boa da saga acima foi que, enquanto eu esperava para entrar, tive uma aula sobre alimentação viva, tomei um suco delicioso da luz do sol (pepino, clorofila, maçã, gengibre) e comi uns crackers de semente de linhaça com tomate seco.

Entrando pelo cano - parte 2
Há dias estava interessada em ir ao Dream Fashion Tour, onde teria desfile de moda com um show do Jota Quest. Eu queria ver o desfile, o marido queria ver o show. Assim, pensando num programinha diferente, fiquei acompanhando o início da venda dos ingressos. Na semana anterior, fiquei sabendo que não haveria venda, somente sorteios, concursos de frases e convidados. Participei do que era possível, mandei frase sobre o Rio e ganhei 2 ingressos. No sábado, lá fomos nós. A Fundição estava lotada, estrutura precária, muito calor. Não aguentamos ficar até o final. A Xuxa fez a abertura, o Jota começou o show, as modelos entraram (a Isabel Goulart é muiito bonita), Ronaldo foi chamado ao palco (e foi vaiado) e antes da terceira troca de roupa das modelos, fomos embora. Como este evendo passará por muitas capitais, quem tiver vontade de ir, fique atento para evento onde não há venda de ingressos. Fica insuportável.

9 comentários:

Anônimo disse...

o TC é o guia cultural mais sincero e divertido da net...isso daria uma grana ein tw, avalia aí :))

mas fiquei curioso...o show foi bom? tenho ainda minhas reticências com relação ao JQuest.

bjo

Terapia disse...

Tw, o Jota não está na lista das minhas bandas favoritas. Achei bom, porque foi diferente: show para um desfile. O marido acha que é a melhor banda de rock nacional. Eu prefiro Titãs ;-)Beijos.

Na Estrada... disse...

Definição de "melhor banda de rock nacional":

1] Me refiro das bandas que estão no mercado (gravadora, mídia, CDs, DVDs, etc.);

2] Considero os caras individualmente bons músicos como executores de seus instrumentos e o vocalista, mesmo não tendo uma ótima voz, para um vocalista de rock/pop possui uma ótima empatia e presença de palco como poucos no Brasil;

3] Como banda, considero que a banda conseguiu criar sua sonoridade e soube conduzir a carreira até os dias de hoje e foi inovadora no mercado fonográfico e de show business com patrocínios, seu próprio estúdio com um som moderno dentro do perfil de som que a banda se propõe fazer;

4] E uma qualidade ímpar nos dias de hoje, mantém a formação original, trabalhando sempre em conjunto em todos os quesitos: sonoro, composição, comercial, financeiro, etc.

5] Chega né?!

obs: maiores detalhes da crítica do show visitem em breve (caso interesse) o blog: http://av-na-estrada.blogspot.com/

Sergião disse...

O site de dicas culturais conta ainda com excelente crítico musical :)

Vou lá no endereço sugerido pra mais informações...

Até breve dupla!

Terapia Coletiva disse...

Tw, mas eu gosto mais dos Titãs! rs.E não sei o porquê. Não sei se eles cantam bem, se tocam bem, quantas vezes a formação da banda já mudou. Meu conceito de banda boa é diferente, é aquela que a música me inspira, me faz dançar (mentalmente), melhora o meu dia.

Marido, vc é a "Bárbara Heliodora musical" deste blog! rs.

Beijos a todos.

Na Estrada... disse...

Xííííííí, então você casou com "um(a)" crítica musical?! "E agora José?!"

Imagina quando eu me formar em Direito.....serei mais do que insuportável! he he he

Beijos na dona deste Blog que saiu linda de casa esta manhã para trabalhar!

Terapia disse...

Eu tenho esperança que vc não fique tão (mais? rs) chato quando fizer Direito. Sua cota nesta vida já foi adquirida, ha ha ha.

Beijos!

Na Estrada... disse...

Serjão, Já pode conferir meu blog atualizado com a crítica a este evento.

abs,

AV

Terapia Coletiva disse...

O espaço de propaganda será cobrado! he he he.