sexta-feira, 11 de julho de 2008

Estou numa fase de muitas provações. A minha ansiedade não me faz falar e colocar pra fora, prefiro o silêncio no meu canto. A saúde demanda cuidados e por conta de 20 exames de sangue, 3 tomografias e 1 ultrassom não tenho feito outra coisa a não ser conciliar trabalho, consultas, exames e algum exercício físico pra cabeça agüentar tudo isso. Mais detalhes eu falo quando o resultado de toda essa bagaça sair. Ando chorona e isso não é nada normal. Tenho me emocionado com frases do Pequeno Príncipe escritas em canecas da Tok Stok. Antes, me pegar chorando era quase tão raro quanto conseguir ver o cometa Halley passando, a cada 76 anos. Normalmente eu agüento bem o "tranco". Essa saga em clínicas e consultórios médicos, além de outras coisinhas periféricas que estão acontecendo, não estão me deixando ter o bom humor característico. E texto sem um mínimo de humor (mesmo que seja humor negro) não combina com esse blog, nem comigo. Estou parecendo a minha sobrinha de 3 anos, que quando não quer responder/ falar algo, responde com uma frase sem pé nem cabeça, do estilo: - Minha sobrinha: mamãe, ontem o Pedro Henrique perguntou se eu queria namorar com ele. - Minha cunhada: é mesmo, minha filha, e o que foi que você respondeu?- Minha sobrinha: eu respondi "boa tarde". Assim, daqui pra frente, quando eu não quiser responder uma pergunta direi "boa tarde", ou "obrigada, já jantei", ou qualquer outro disparate. To cansada. Isso significa que preciso rápido articular uma viagenzinha pra ver que o mundo lá fora é muito muito maior do que esse aqui.

11 comentários:

Dona Lele disse...

E era pra ser um lipominha. Desculpa amiga. Choppinho hoje pra animar?

Terapia disse...

Champagne hoje pra entornar?

Dona Lele disse...

Obvio, de taxi é mais gostoso...

Anônimo disse...

Tw, conhece o Nouvelle?

bj,

TW


"Nouvelle Vague"
"In a Manner of Speaking"

In a Manner of speaking
I just want to say
That I could never forget the way
You told me everything
By saying nothing

In a manner of speaking
I don't understand
How love in silence
becomes reprimand
But the way that i feel about you
Is beyond words

Oh give me the words
Give me the words
but tell me nothing
Ohohohoh give me the words
Give me the words
That tell me everything

In a manner of speaking
[ Find more Lyrics at www.mp3lyrics.org/BoKn ]
Semantics won't do
In this life that we
live we only make do
And the way that we feel
Might have to be sacrified

So in a manner of speaking
I just want to say
That just like you I
should find a way
To tell you everything
By saying nothing.

Oh give me the words
Give me the words
but tell me nothing
Ohohohoh give me the words
Give me the words
That tell me everything

Oh give me the words
Give me the words
but tell me nothing
Ohohohoh give me the words
Give me the words
That tell me everything

Terapia disse...

Não conheço, mas eu adorei a letrinha. Bjs, twin querido!

Teacher disse...

Conte comigo se eu puder ajudar...!

Terapi disse...

Marcão, obrigada. Você ajuda com o seu bom humor. O restante do serviço sujo deixemos por conta do hematologista ;-) Bjs, sumido!

Anônimo disse...

faz favor de atualizar logo :)

bj

TW

Terapia disse...

Ué, costuma ser 1 post por semana ;-) Senão terei q começar a postar receitas diariamente hehehe. Bjks.

Playmobil Falante disse...

IIIIIIII colega, desestressa! - Adoro verbos que não existem, rs... Olhe para o seu lado, veja que a pessoa que bate ombro contigo tem um problema muito maior - e tem, viu? Pense que o que quer que seja não foi causado por você e por isso vai passar. Ah, lembrei de uma coisa.

Vou contar toscamente porque não sei a autoria: Uma vez Salomão reuniu os sábios de seu reino para escreverem uma frase que fosse uma verdade absoluta, um dogma e que ninguém nunca pudesse contradizer. Os sábios reuniram-se e pensaram décadas até que veio a Salomão um pedacinho de papel onde estava escrito a frase:

"Isto também vai passar."

Muitos beijos

Anônimo disse...

receitas, perfeito...

bj