segunda-feira, 16 de março de 2009

Sexta cheguei ao aeroporto do Rio após um dilúvio. Pelo trânsito complicado resolvemos ir direto para o Citibank Hall, era o tempo de comer um lanchinho e entrar para assistir o show do Keane. Como estava marcado para 22h, imaginamos que o show de abertura demoraria uma horinha. Não, não e não. A gente esquece que banda britânica entra na hora que está marcado. Quando entramos já estava na terceira música e, o mais grave, Everybody's Changing já tinha rolado! Fiquei esperando que ela se repetisse no final, mas não rolou. Tom Chaplin estava de super bom humor, sorrindo e cantando, vestindo uma camisa rosa de mangas longas e jaquetinha prateada. Nem parecia que o calor era de lascar. Os demais integrantes, cada um com camisa polo de uma cor (será que são patrocinados pela Lacoste?). O show foi o que eu esperava, fofo! Eu gosto do estilo e não entendo nada de quem toca mal ou bem algum instrumento. Há quem diga que a melhor música do show foi Under Pressure, do Queen. Maldade! A voz do cara é impressionante. A que mais me emocionou foi Somewhere Only We Know ("essa música é para vocês", disse Chaplin). Em Crystal Ball Tom Chaplin desceu do palco para cantar perto dos fãs. Pela simpatia de Chaplin, que sabe falar muito além de "obrigado" em português, pela sua voz, pelos fãs frenéticos cantando todas as músicas, valeu muito. Os fãs de verdade adoraram. O Keane também. Isso basta.

3 comentários:

Na Estrada... disse...

Bem,

Faço a mea culpa pelo nosso atraso ao entrar no show! Mas foi por muito pouco que não perdemos o show todo, pois a chuva quase cancelou seu vôo e a possibilidade de se trafegar nas ruas do RJ (eu mesmo fiquei 1,5h dentro do carro embaixo de um dilúvio). Olhe pelo lado positivo, te livrei de ver o tecladista saltando que nem um macaco no banco do teclado por mais 3 músicas. rs rs

Achei a banda muito fraca técnicamente, o baterista então, deveria ficar uns 2 anos só estudando rudimentos (he he....essa poucos entenderão) para adquirir um GRIP (idem o parêntese anterior....rs) decente. O Vocal possui uma voz espetacular, mas tem MUUUIIITTTOOO a aprender com o Bruce Dickinson sobre performance no palco e ter o público na mão!

obs: O que era aquela camisa rosa de manga comprida e aquele casaco cobre brilhoso?!?!?!?! (sem falar que estava um forno lá!)

Terapia Coletiva disse...

É que não daria tempo de trocar de roupa antes de pegar a Farme de Amoedo bombando! E final da noite esticadinha em Copa, lógico! Hehehe.

Os fãs não querem saber do "tecnicamente falando". Não é a técnica que emociona um fã.

E agora, quanto a performance do Tom Chaplin, só tenho a dizer: que fofo! O cara é tão querido que ninguém jogou lixo no palco (como no Iron).

Beijos da chata.

Na Estrada... disse...

Estavam alimentando o EDDIE com Biscuits! rs rs