quarta-feira, 1 de agosto de 2007

De perto ninguém é normal

No meio da 578ª repetição de alongamento na fisioterapia, comecei a prestar atenção na conversa da maca do lado. Uma senhora de meia idade conversava com o fisioterapeuta.

Senhora: estou tendo dificuldades em entender Física Quântica ...
Fisio: por que a senhora precisa entender isso?
Senhora: porque eu sou ufóloga, meu mestre é de Brasília.
Fisio: mestre?
Senhora: é, mestre, ele é um ET que aparece em forma humana para passar os ensinamentos. Os grandes centros desta área no Brasil são Brasília e Mato Grosso.
Fisio: a senhora já foi abduzida?
Senhora: não, mas eu conheço um casal que teve o bebê abduzido, após trabalho de parto dentro do taxi, no percurso da casa para o hospital.
Fisio: ah ...
Senhora: em um dos nossos encontros conseguimos materializar ouro.
Fisio: nossa ... (prendendo para não rir)
Senhora: você já encontrou sua parceira ideal? Ela deve ser de Capricórnio, porque vc é da Constelação de Plates (?!).
Fisio: sou?
Senhora: você tem covinhas quando ri, isso é característica.
Antes que ela olhasse pra mim e falasse que meu par ideal não mora na Via Láctea, eu saí de fininho. Imagina, numa simples sessão de fisioterapia chegar a essa drástica conclusão. Eu não suportaria. Agora to aqui pensando com os meus "botões", será que ela fumou um antes de ir pra clínica, ou será que o excesso de ultrassom causa alucinação ou é a minha culpa católica que me impede de acreditar nessas viagens?

3 comentários:

Bob disse...

Amiga, se a senhora seguidora do mestre ET estiver certa, acabo de ter certeza de que ñ sou a parceira ideal de Paulinho. Ele tem covinhas qdo ri, e a parceira ideal p/ ele é de capricórnio. Eu sou de cancêr. ahauhahauhuahua
kkkkkkkkkkkk

Terapia disse...

Aiii, o Cabeça de Bacalhau vai me chamar de destruidora de lares, depois que eu te emprestrei o livro "Ele simplesmente não está a fim de vc", agora vem a revelação do ET para comprovar que ele não é sua tampa da panela ...

Playmobil Falante disse...

Já tomei um negócio desses também, mas hoje sou uma moça séria...
Não é sua culpa católica que não te faz acreditar, é sua caretice e sobriedade, hehehehehe