segunda-feira, 28 de abril de 2008

"Ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade. Não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados" (Shakespeare).

Tenho observado cada vez mais as pessoas querendo ter razão, mesmo que isso implique em jogar a felicidade pela janela. Melhor é curtir a tristeza de longo prazo, mas com aquele sentimentozinho de vitória por não ter dado o braço a torcer? Muita gente troca o incômodo temporário de fazer as pazes com pessoas queridas (o que possibilitaria tempos felizes) por uma tristeza contínua. Li em algum lugar que “é nossa fúria que nos leva a uma briga, mas é nosso ego que nos mantém nela.” É um sinal de sabedoria deixar de lado nosso ego. A vida é muito curta para guardar mágoas, independentemente do tipo de relacionamento que você mantém. Lembro quando eu fazia terapia, que a psicóloga falava que alguns casais investigam tanto a vida do parceiro, só pra no final, após descoberto algo que desabone a vida do outro, dizer "viu, eu não disse que eu tinha razão?". Neste caso os dois perderam, porque um quis ter razão. E o relacionamento acaba. Ja falei várias vezes aqui da diferença do jogo de tênis e frescobol. Enquanto o jogo de tênis tem o objetivo do adversário mandar a bola no chão da quadra do outro jogador e fazer isso repetidas vezes até encerrar a partida, no frescobol quanto mais redondinha (com trocadilho) for a bola passada para o parceiro, mais tempo vai durar o jogo e a sintonia. Tem gente que vive um jogo de tênis virtual. Morre de tristeza, mas não dá o braço a torcer. É o ego que nos leva ao cinema, manda torpedinho no meio da tarde falando que tá com saudade? É o ego que te leva pra jantar e te faz companhia debaixo do edredom numa noite chuvosa e fria? Então mande o seu ego passear e se permita ser feliz. Você quer ter razão ou ser feliz? Eu quero ser feliz.

7 comentários:

Playmobil Falante disse...

Um dia serei nobre...

Anônimo disse...

Twin viajante (Travelling Twin, como eles dizem lá),

que tal temperar ego e razão com confiança (no sentido de ter fé, mais que acreditar), generosidade, compaixão...ego, razão, o que quer que seja, nenhum deles deve mesmo guiar um relacionamento.
eu pelo menos já tentei dos dois modos, e não achei que qq um deles isoladamente seja a solução :)

vou ter taaaaaaaaaaaaanta saudade

twin (já) saudoso

PS: iloviubeibe, as usual

Terapia disse...

Twin, acho que vc não captou a mensagem desse meu post. Isso significa que estamos tomando poucos café pós almoço ;-) Eu mando notícias de lá. Vai ser a mesma coisa que estar aqui, já que a gente conversa mais via computer mesmo ;-) Beijos.

Terapia disse...

Eu sei que gêmeos precisam se encontrar mais vezes, eu sei. Vamos mudar isso na volta, tá? Beijos ;-)

Anônimo disse...

twin pequena,

quero lembrancinha de coffe shop...nada que de cadeia, por favor...um chaveirinho,um adesivo, ou até uma caixinha de fósforo roubada rsrsrs

take VERY GOOD CARE,

bjin

twin grande

Anônimo disse...

O problema maior do geminiano é: não adimitir em hipótese alguma que está errado, na cabeça de um geminiano ele nunca está errado. Estou te dizendo isso amiga escorpiana que tanto gosto, por convicta geminiana que sou. Sofro por ser assim "cabeça dura" e
quanto mais dura a cabeça, maior a dor da pancada.

Beijos da amiga geminiana,
mimi's.

Terapia disse...

O escorpiano também curte ser o dono da razão e fui assim por muito tempo. Com o passar dos anos, com a influência do meu ascendente capricórnio e com a terapia, percebi que era eu quem mais perdia com isso tudo. E como eu não vou viver até os 120 anos, prefiro ser mais flexível (e feliz) agora mesmo ;-) Beijos amiga geminiana querida.