sábado, 29 de dezembro de 2007

Tá chegando, tá chegando ...
Já que estou de férias, me dedicando a não fazer nada de sério e útil, tava assistindo meus programinhas preferidos na GNT e as pessoas estavam falando sobre promessas de ano novo e tal. Mentalmente estava fazendo a minha listinha de metas/desejos para 2008, como voltar a estudar espanhol, continuar a jogar tênis até virar uma Sharapova (ok, voltarei a falar sério), não abandonar a academia (depois do fim do verão), viajar mais nos finais de semana, diminuir o estresse no trabalho, etc. Daí enquanto eu via tv e bisbilhotava a internet (porque eu não consigo fazer uma coisa só), achei um texto antigo do Drummond que fala de receita de ano novo. Que não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa beber champanhe nem mandar ou receber mensagens (se forem aquelas chatinhas com musiquinhas em power point, não precisa mesmo!). Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas nem acreditar que por decreto de esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens. Pra você ganhar um super ano novo , sem comparação com todo o tempo já vivido, um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, a começar pelo seu interior novo, você tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo. É dentro de você que o ano novo cochila e espera desde sempre. Então, queridos, coloquem os sonhos pra fora e realizem mais. Boas iniciativas e melhores "acabativas". Feliz Vida Nova em 2008!

2 comentários:

Joe Bass disse...

Aê muié, o papo é o seguinte, tá ligada? Cêis ino pra Amsterdam me passa a geral que eu vou até lá passar uns dias com voces. cêis vino pra Bélgica eu hospedo vocêis, tá ligada? Na moral e na humildade.

Terapia disse...

Obaaaaa! To ligada mano. Vou me programar. Bjks e ''tenkiu''.